sábado, março 05, 2005

AMENDOINS COM AZEITE

Episódio 12

E assim se fez história. Assim Enda foi transportada aos aposentos d'El Rei King Shihanitis, perante toda a incredulidade deste em ver que a salvação do reino de encantar, a mulher pela qual todo o povo reza e pela qual o seu filho chora como um babão, não passa de Enda. A mulher que já sugeriu vezes sem conta a Lord Pilinhitas que, diga-se aos mais esquecidos, já recusou gentes de saias de praticamente todo o mundo. Por muitos poderes k El Rei King tenha, buscar mulheres a outros planetas ainda não consta dos seus poderes nesta encarnação... mas pronto, aqui está Enda. A escolhida do seu filho naquele desvairado passeio castelo fora. Valha-nos Deus.
- Que se mate 100 borregos, hoje o reino está em festa! Que seja feito hoje mesmo um baile de máscaras para anunciar o noivado! - Disse King Shihanitis com toda a eloquência de um ser hierarquicamente superior.
- Hip Hip urra! - acrescentou.
- Mas senhor King, já são 6 da tarde - respondeu um dos lacaios.
- FOSSE 7 FOSSE 8 FOSSE 10!! QUERO UM BAILE HOJE MESMO! E QUE TODO O REINO ESTEJA AQUI PRESENTE!! MECHAM-SE CARCAÇAS PUTREFACTAS!
Bom, e segundo reza a história, o baile foi mesmo realizado naquela noite. Não me perguntem como nem porquê, por vezes nem os próprios autores percebem o porquê do que escrevem... Falando de quem interessa, Lord Palinhitas mascarou-se de xulo do Algarve, com uma tanguinha pele de leopardo chanel (no fundo o que queria era mostrar a sua caixa torácica musculada). Já Enda preferiu trajar-se com um véu islâmico, o qual realçava especialmente bem a sua beleza e formosura.
E assim, foi ver o príncipe aproximar-se a pouco e pouco, da sua pseudomenina. Chegado, à beira desta, desbravou-se com estes palavreados:
- Esperei tanto por este momento/Fada do meu pensamento/Ahhh! Poderás ser mesmo tu?/Nem conseguia fazer pupu!
A resposta que levou da sua menina foi um pequeno dançarete condizente com a grandiosidade da sua cantiga de amor. Mas nada ouviu. Logo se lhe veio à cabeça que o encanto das palavras que proferiu tinha emudecido a menina. Sem mais demora, ripostou:
- Ai meu orvalho matinal, minha brisa anal, ficou tanto por dizer no nosso encontro anterior... uuuuuuuhhhh ... uhhh ...
Por muito lógico que fosse, posso dizer-vos que estes últimos vocábulos do príncipe não faziam parte da sua declaração original. O que se passou foi que Enda resolveu ir directamente ao assunto que a trazia ali. E assim, num gesto decisivo e determinado, envolveu o leopardo e tudo o resto. Vendo a gente à sua volta distraída com os dançaretes daquele tempo, pegou no príncipe com a outra mão e levou-o para o quarto real, tão conhecedora que era daquele castelo.
Aí, aconteceu tudo um pouco. Por um lado, a luta de Lord El Pilinhitas em tirar o véu da cabeça de Enda para ver Belica e por outro, a nossa queridíssima Enda a cumprir aquilo a que se tinha proposto. No meio disto tudo, levou Enda a melhor. Véu para cima (até à cabeça), tanguinha chanel para baixo, foi um fartote. O príncipe bem esperneou, mas de nada lhe valeu. Era um verdadeiro fantoche nas garras da lontrosa Enda. É então que, no fim, na aparente calma do leito, Lord Pilinhitas retira o véu da menina...
Um golpe de sangue apodera-se da face de Lord Pilinhitas, à medida que se começam a vislumbrar sinais cada vez mais nítidos de terror instalado. É então que surge um grito.
-- ENDA !!?!?!?!?!?!?!?!

ESTA É UMA OBRA FICTÍCIA. QUALQUER SEMELHANÇA COM FACTOS REAIS É PURA COINCIDÊNCIA.

4 comentários:

CuRTeS disse...

agora so tou com ardor no esquerdo!

Anónimo disse...

Entao os amendoins viraram um filme de terror agora pobre Palinhinhas.

skykodak disse...

Tou com medo k a Enda tenha ficado grávida e assim a novela n pode ter um final feliz.........

Aii....tenhu tanto medinho....

Amendoim Acéfalo disse...

Naaaa que o Pilinhinhas usa sempre tripa de porco alentejano aquela meda não rompe nem com um elefante