segunda-feira, março 16, 2009

Ler, mais que ver

Metamorfose de Franz Kafka (1915)

Metamorfose de Kafka

“Quando Gregor Samsa despertou, certa manhã, de um sonho agitado viu que se transformara, durante o sono, numa espécie monstruosa de insecto.”

Esta é uma das obras mais emblemáticas de Franz Kafka, um homem amargurado e violentado pelo seu ser, durante toda vida. O caso particular da Metamorfose é paradigmático, o espelho perfeito das terríveis tormentas e angustias do autor pela sua existência, usado quase como uma autobiografia da conturbada convivência com o pai, a doença vivida aos cuidados da irmã, o seu sentimento de alienação com o mundo.

Este pequeno livro está dividido em 3 partes, construído como uma tragicomédia sobre o absurdo de um homem, Gregor Samsa, ao acordar um dia transformado numa espécie de insecto gigante, contudo, mantendo o senso humano, com única preocupação imediata de estar atrasado para o trabalho e de não desiludir a família, já que este é o principal sustento dela. Desenvolve-se assim, na primeira parte, como uma paródia, em que Gregor Samsa, fechado no quarto, tenta convencer a família e o patrão que está tudo bem, numa rejeição da realidade, apesar das profundas transformações sofridas, que o impedem inclusive de comunicar. A partir daqui, adensa-se a narrativa, desenvolvendo-se uma espiral de rejeições por parte da família. Gregor é fechado no seu quarto pelo pai, alimentado pela irmãzinha, escondido dos hóspedes, maltratado pela emprega; e na medida em que o tempo passa e vai desaparecendo o seu reconhecimento como homem, em prejuízo da imagem do bicho que olhos mostram, até ser considerado apenas um estorvo para os seus.

Kafka, com este livro, explora os recantos negros da mente humana, de como insignificante e vã pode ser uma vida, por muito importante que ela seja numa determinada altura para os outros. A imagem do insecto é o símbolo da condição humana, de uma identidade pessoal perdida, o sentimento de culpa fracturante da personagem, conduzindo o seu trabalho e vida para cuidar da família, até a morte pela rejeição, consumida pela culpa de não ser o que a família quer e precisa.

Kafkametamorphosis

Aqui estão traduzidas as motivações e principais reflexões de Kafka, espalhadas por toda a sua obra – a impotência do homem perante uma realidade absurda e as forças exteriores que escapam ao seu controlo.

1 comentários:

Nimpo disse...

Este livro é tão curto e simples quanto esmagador e alienante... Como é bom o sentimento de lê-lo pela primeira vez..