segunda-feira, março 02, 2009

Notáveis 7ª arte 3_thumb[1]

Slumdog Millionaire de Danny Boyle (2008)

Género: Drama, Romance

slumdog_millionaire

O milionário cão vadio de Danny Boyle - baseado na novela Q&A do diplomata/romancista Vikas Swarup -, vencedor do Óscar de melhor filme 2009, é o exemplo perfeito do produto ultra promovido, que aparenta ser mais do que é.

Um improvável concorrente do famoso concurso “Quem quer ser Milionário?”, proveniente de um dos muitos bairros pobres de Mumbai, está prestes a ganhar o prémio final; pela desconfiança que levanta tanta certeza de acerto, é detido e interrogado pela polícia para confessar a sua batota. A partir deste ponto, revendo todas as perguntas que lhe saíram em sorte – estranhamente relacionadas com diferentes episódios da sua vida -, Jamal, a personagem principal, recorda a sua história pessoal; desde a pobre e trágica infância – num claro paralelismo com o dia-a-dia de grande parte das crianças indianas -, vivida com o irmão e, mais tarde, também com uma menina órfã - o seu futuro amor -, até à actualidade, vivida na busca do amor perdido, e razão da sua participação no programa.

slum460 Extremamente bem realizado, com uma narrativa apelativa mas, ao mesmo tempo, demasiado previsível e trivial, vale, principalmente, por um par de cenas marcantes, destacando-se a primeira meia-hora, protagonizada por miúdos das favelas indianas, imprimindo um forte realismo a toda a acção, toda ela muito estilizada: o pequeno Jamal a mergulhar num charco de excrementos para não perder um autógrafo de um ícone de Bollywood, é a metáfora perfeita de um argumento inteligente.

A acção frenética – com a câmara sempre em movimento, o viajar entre os flashbacks do jovem Jamal, a narrativa vertiginosa, aparece de forma extremamente eficaz na mensagem que tenta pensar; é o entretimento perfeito para chegar a todos os públicos: a fábula amorosa da busca da felicidade, independentemente dos valores materiais.

slumdog-millionaire-jai-ho-dance

Salvo pela poderosa FOX de entrar directamente para o circuito DVD, sem passar pelas salas de cinema (em boa hora, seja dito!), conseguiu passar pelo filtro político/crítico da academia de Hollywood, até chegar à nomeação e suprema consagração cinematográfica ocidental. Deixa a impressão de um claro piscar de olho da indústria cinematográfica americana a um grande filão até agora inexplorado: o vasto mercado indiano, à gigantesca Bollywood, e a rentabilização de um negócio que, como a maioria dos negócios, nos últimos anos, já viu melhores dias.

7/10

P.S: Escrevi as linhas anteriores sob protesto, o protesto dos enganados, dos ludibriados pelos desmandos publicitários óscarianos, que nos apresentam expectativas, mais tarde, implacavelmente goradas.Ninguém me manda ser crente.

9 comentários:

Anónimo disse...

Looool, tenho a dizer que o filme está sem dúvida a altura da nomeaçao no minimo e sem duvida merece mais que um 7 em 10.
E de modo algum merece ser chamado de "simples busca pela felicidade sem olhar ao materialismo", o filme e BEM mais do que isso.

Mas como "O SHIHAN" e restante staff têm a mania que são intelectuais e só gostam daqueles filmes que por mais bem feitos que sejam niguem tem paciencia para os ver (muito menos filmes de 1940 ou o raio). Caralho nem metade devem ter visto muito menos entendido. Ver um bom filme nao passa por ser do realizador X ou Y, mas sim um filme com uma boa mensagem seja ele simples ou nao, comercial ou mais rebuscado, HA MUITOS BONS FILMES COMERCIAS E SIMPLES sem ser la do "david liiiiiinche" ou o tal do "Kubriiiiica".


Parem se se armar e leiam as coisas pelo menos e nao copiem a MERDA dos comentarios dum blog qualquer, em que tem como habito ser contra o que as massas gostam , ser contra ao comercial, ser contra ao simples, pelos menso façam comentarios proprios e nao seja velhos dorestelo a copiar as criticas da net.

Skykodak disse...

Vi o filme na semana passada e gostei muito do que vi. A história é das mais simples que existe, mas penso que deixa uma mensagem critica muito grande há Humanidade.

Um pobre nunca poderá ir longe, nunca poderá ganhar nada na vida....Um pobre e humilde rapaz ganhar um concurso k nem médicos, avogados, poetas conseguiram....não pode ser...algo esta mal...deve ter feito batota...

Para alem desta mensagem o filme transporta uma mensagem de luta contra o racismo/descriminação religiosa, bem marcada por exemplo aquando da morte da mãe de Jamal...

A triste realidade dos paises do 3 mundo nao é eskecida, a mafia, a miseria das pessoas, a policia k nada faz...

Aliado a isto tudo, claro, como em kualker filme e existe uma historia, centrada numa personagem principal...Uma historia de amor, muito batida no cinema...mas sempre emocionante aos olhos de kualker ser humano sensível...e nao só..

Beijinhos

O Shihan disse...

Anónimo, como toda gente tem direito à sua opinião - até quem não gosta de dar cara -, nós também prezamos por ter a nossa. Não estamos comprometidos com nada nem ninguém, a não ser com nós mesmo, temos a nossa opinião pessoal, mas não intransmissível, não somos obrigados à imparcialidade, porque também não nos pagam para isso.

Se acha que o filme merecia mais do que um 7 em 10 é consigo, até achei o argumento e a realização excelente, sem no entanto, ser comparável com filmes que "niguem tem paciencia para os ver (muito menos filmes de 1940 ou o raio)", ou o Titanic que toda a gente viu afundar.

Como aqui ninguém tem pretensões de intelectualidade, apesar de o podermos ter (o que parece não incomodar ninguém é a aspiração à mediocridade, ou ao pensamento único e universal, só porque sim), também não temos de seguir as massas porque é bonito ou porque alguém quer. Até copiar "a MERDA dos comentarios dum blog qualquer, em que tem como habito ser contra o que as massas gostam , ser contra ao comercial, ser contra ao simples, pelos menso façam comentarios proprios e nao seja velhos dorestelo a copiar as criticas da net.", era um direito nosso fazê-lo no nosso espaço, portanto, retrate-se e seja feliz, mesmo se para isso tiver de deixar de vir aos amendoins.

Anónimo disse...

lololol Vocês dão muita importância aos anónimos maldizentes.

Luís disse...

Vi o filme no cinema e gostei. Concordo com o que OSHIHAN quer dizer, este filme não passa de entretenimento e fá-lo mto bem nesse aspecto, compara-lo com outros filmes é redutor. Só estamos a falar dele e isto chocou ali o anónimo só pk ganhou o óscar, caso contrário secalhar n se tinha dada a importância que se deu ao filme.

Geitoso disse...

Estes comentarios fazem-me rir.

Vocês tem todos um problema mental

Nimpo disse...

Eu era para ter visto este filme com o Shihan, mas tal não foi possível ...

Caro anónimo, um reparo ao seu comentário deprectiativo aos "filmes da década de 40 ou o raio". O nosso propósito com a rúbrica "Notáveis 7ª arte" é mesmo o de tentar revelar, na nossa opinião, os grandes filmes da história do cinema que já são pouco falados, e esses existem em qualquer década. É por esta razão que este blog está muito longe de ser de modas, ao contrário do que disse... é precisamente o oposto, compreende agora?

Nós fazemos estas críticas mais pelo prazer pessoal de auto-analizarmos aquilo que vemos, porque conseguimos muitas vezes ir mais além e descobrir factos muito interessantes... Compreenda que não é com o intuito de sermos bajulados. Eu por vezes tenho quase vergonha daquilo que escrevo de tão pouco inspirado que está, para lhe ser franco lol

Continue a usufruir e não hesite em apontar o dedo. Com os melhores cumprimentos. Salut o/

O Shihan disse...

Nimpo, até diria mais: já é uma sorte não estarmos para aqui aos grunhidos como bestas animalescas que somos.

Mariana disse...

Slumdog Millionaire é um exemplo de um filme cuja realização se encontra muito bem cuidada, com um argumento consistente, com uma excelente captura fotográfica e bem emparelhado musicalmente também.
No entanto, não penso que seja dos melhores filmes que já se tenham feito este ano. Na realidade o filme iguala-se, a um conto onde o sobrevivente tem as probabilidades contra si mesmo.