quinta-feira, maio 28, 2009

Um país, dois sistemasThe People's Liberation Army is the University for Mao Tse Tung Thought!

A China tem um dos mais execráveis sistemas políticos. Para pior, só alguns fanáticos africanos e do sudoeste asiático que se ainda acham na era medieval. Chamaram-lhe República Popular da China, mas de república nada tem e de popular cada vez menos. Consegue juntar duas súmulas, à primeira vista, intoleravelmente miscíveis - os piores aspecto do capitalismo selvagem e os piores aspectos do socialismo que tudo centra à volta de um estado ubíquo, só ao alcance de um regime totalitário, repressor e unipartidário. Crescem a dois dígitos por ano, e são o exemplo para os tempos modernos da prosperidade económica. Uma prosperidade mefítica, indigna, violadora dos mais elementares direitos humanos, castradora da individualidade, camuflada por uma pertença igualdade polarizada. A China cresce, os chineses enriquecem ao mesmo ritmo que a miséria prolifera e o êxodo rural para a grande cidade transforma milhões de seres humanos em meras labutas ao serviço do grande sistema, privados de uma biografia onde entre a palavra dignidade.

Estranha sensação de prosperidade essa.

A hipocrisia internacional tem que continuar, o isolamento nunca poderá ser a melhor solução. Entretanto, o barril enche-se, a pólvora acumula-se, e a explosão social apressa-se - o homem é de natureza inquieta e sonhadora, aqui ou na China.

Em Portugal, continua a existir um partido timidamente defensor do regime chinês. Chama-se Partido Comunista Português. Esse mesmo, o dona da superioridade moral perante a defesa do proletariado em Portugal, sempre contra os malvados do patrões que exploram os coitadinhos, os mesmos que defendem um Tibete Chinês, apesar dos direitos irrevogáveis à autodeterminação e independência de uma nação secular.

Se não chegassem os tiques atávicos do Partido Comunista Português, só por si um motivo para não ser comunista, o Tibete devia ser, por força das evidências, uma razão essencial para não ser comunista em Portugal.

Já ouviram o que os principais dirigentes comunistas portugueses têm a dizer da Primavera de Praga? Não queiram. Perguntem-lhes do Belmiro.

10 comentários:

Nimpo disse...

Aplaudo esta reflexão e provocação. Até hoje nunca vi um regime comunista respeitador das liberdades individuais... vi sim regimes altamente castradores, destabilizadores da harmonia mundial e até genocidas. E tudo isto é tão real quanto possível ao mesmo tempo que é tão bonito ir ao Avante e ser-se comunista : )

Roberto disse...

Vou perguntar aki ao meu amigo Xines o k ele axa do seu proprio regime...Nada melhor do k saber as coisas, nao pela imprensa, livros, mas sim pelas pessoas k vivem essa mesma historia....ou entao viver e sentir na pela...pk sim concordo com o amigo shihan ("Doutores" de 5 anos, nada sabem para alem de conceitos tecnicos e muito especificos da sua area, k pouco contribuem para a cultura geral)e o k sabem e teoria, e teoria ja nos todos sabemos muito...lemos muito...somos "cultos"....Agora falta e viver, isso sim o mais importante de tudo...

Depois contarei a historia, ja em segunda mao....mas sempre melhor k a partir de um livro...

Beijinhos nas boxexas

Roberto disse...

Ora bem....

Perguntei nao a um, mas sim a 4 xineses o k eles axam do regime. Todos eles disseram k o regime é rigido, muita disciplina mas k o objectivo principal é fortalecer uma sociedade k era pobre ha pouco tempo atrás e transforma-la na maior potencia mundial....Todos eles disseram k ao inves de pensar no bem de cada um, pensam no desenvolvimento da sua propria cultura...e por isso defendem o regime actual....São pontos de vista, maneiras diferentes de pensar deste lado do mundo...Mas na minha opiniao temos k a respeitar, sao eles mesmo k acreditam e apoiam o sistema, sao pessoas diferentes de nós...tem mt autodisciplina e de facto estao a léguas de distancia de nós.....mesmo USA...a k tirar o chapeu, e ver o desenvolvimento k fizeram...Podem argumentar o facto de violarem direitos humanos,...mas isso nao e totalmente verdade (segundo os xineses)...e num pais de 1 bilião de habitantes haverá sempre estados/pessoas a abusar....há em todo o lado...

No k diz respeito ao PCP concordo k seja um partido desactualizado...mas defende uma classe e os direitos de uma classe k nos nunca pertencemos, so estando na pele dessa mesma classe é k podemos opinar...É muito facil falar, kd tivemos tudo de mão beijada, tivemos todas as condições para tudo...pensem nisso....E pensem como seria a vossa vida com 450 euros por mês e com filhos pa criar...Pensem....

E para k nao haja mal entendidos, sou do PS, gosto muito do senhor Socrates...e por mim deveria continuar com maioria absoluta por muitos e muitos anos....

Bjx**

Nimpo disse...

lol e mai nada!

Em relação aos chineses, eu acho que se passa algo um pouco como a alegoria da caverna.. não são infelizes porque não conhecem outra forma de viver... Por outro lado, a lavagem cerebral de patriotismo leva-os a falsear inconscientemente a realidade do país. Dizem eles que ao invés de pensarem em si próprios pensam na cultura do seu país. Ora, isso é a revelador da eficiência da lavagem cerebral a que são sujeitos. Que melhor poderia acontecer do que fazer crer ao povo que gastam a vida, mas por um ideal de cultura e humanidade, como se fossem mártires? LOL Eles trabalham, isso sim, para o enriquecimento do estado, que os considera não mais que umas formigas servas da sua máquina implacável. Essa é a dolorosa verdade. O curioso é que o país é regido por um partido que é comunista, o que mais defende os direitos dos trabalhadores, e se formos a ver, na realidade passa-se o extremo oposto, vivendo na miséria e a trabalhar para essa máquina do estado, enriquecendo desalmadamente. Irónico.

Quanto ao PCP, eu acho que sim, é preciso um pouco de PCP para defender os TRABALHADORES, apesar de bem sabermos que, se estivessem lá dentro, seria pior ou muito pior.

: D

Roberto disse...

So keria dizer k do outro lado do mundo o ser humano é diferente...E temos k ter isso em consideração...mesmo no Japão, as pessoas pensam mt no pais e pouco nelas...trabalham 15 horas por dia e kerem trabalhar ainda mais....

Claro k, pessoalmente, nao concordo...prefiro de longe o mundo ocidental, mas isto, esta minha preferencia nao será pk fui criado nesta cultura, foi-me induzido esta maneira de pensar? Tb é verdade....Tudo k nao estamos habituados é estranhu, muitas vezes nem e pior nem melhor, é estranhu pk nao tamos habituados...Por exemplo, é estranhu ver ingles comer salsichas e bacon ao pekeno almoço....é estranhu pa mim...pa eles é estranhu ver-me comer um bife e batatas fritas ao almoço...Kem é k esta certo? É so uma pekena metafora....

Kuanto ao PCP, nunca, mas mesmo nunca deveria ir po poder..."Deus" todo poderoso nos livre disso...Pk, o ser humano nao é todo igual:p Pk mais k digam k é, nao o é:p Tem k haver diferenciação...

Beijinhus

Bjx***

Nimpo disse...

Concordo com tudo o que disseste. Temos de facto de perceber as diferenças culturais. No Oriente é normal trabalhar-se 12h por dia e férias, isso, é para os preguiçosos (que somos todos nós, ocidentais)! lol

Beijinhos, e até breve aí nessa ilha semi-continental : )

O Shihan disse...

Se é importante ouvir outras sensibilidades, todas elas condicionadas pelas suas vivências, como é normal. Parece-me inquestionável a falta de liberdade de informação e de opinião naquele território, os atropelos à dignidade humana, o desrespeito pela individualidade de cada um, a repressão no Tibete.

E esse argumento que temos de respeitar porque são culturas diferentes é das coisas mais ridículas que já ouvi. Sendo assim, a pena de morte nunca tinha sido abolida, porque fazia parte da cultura, as mulheres nunca poderiam ter saído de casa, porque fazia parte da cultura, as pessoas nunca poderiam ter a decisão do voto, porque quem governada era uma monarquia absolutista, teríamos de aceitar as mulheres apedrejadas na praça pública porque cometeram adultério, ou falaram com outro homem que não o seu, etc... Tenham paciência, ser obrigado a concordar e a respeitar culturas deste tipo é cobardia intelectual, é falta de princípios e até de carácter, uma verdadeira heresia, de um egoísmo a todo o nível para quem vive em democracia e liberdade. Sim porque assim estamos a defender que o homem por nascer em diferentes partes do globo, terá os seus direitos fundamentais adaptados à situação política e cultural naquele determinado momento. Meu cota, estás atrasado quase dois séculos em relação a este tema, desde que Thomas Jefferson começou a esboçar a ideia que todos os homens devem ser reconhecidos nos seus direitos e deveres fundamentais como iguais.

Retenho uma frase que desfaz o teu raciocínio:
"...É muito facil falar, kd tivemos tudo de mão beijada, tivemos todas as condições para tudo...pensem nisso....E pensem como seria a vossa vida com 450 euros por mês e com filhos pa criar...Pensem...." Pergunto-me o que acharias tu de viver num país em que não podias votar no senhor Sócrates, ou onde não pudesses beber a tua vodka em casa ou ir à praia com a tua Xenna, mas lá está são culturaxxxxxx, só não temos é de respeitar aquilo que nunca nos merecia respeito se nos tocasse a nós.

Para terminar Roberto, temos opiniões muito diferentes sobre este assunto, o que provavelmente te permitiria viver tão tranquilamente na Idade Média, como votas no senhor Sócrates no séc.XXI. Parabéns pelo golpe de rins que consegues ter e de que eu nunca seria capaz, só te falta ter o mesmo discurso para as religiões e fica completa a tua declaração universal do temos de respeitar a falta dos direitos humanos, consoante a localização de cada um.

;)

P.S: O contraditório é quase tão engraçado como as contradições em que muito se caí.

Roberto disse...

Ora bem contradições, podes encontrar kuando les o k escrevo com tempo...coisa k eu nao despendo kuando faço um comentário...ao contrário de ti k deves demorar seculos a fazer um post, ou um comentário...por isso é normal k as vezes o discurso nao seja fluente, pk tenhu mais k fazer do k perder uma hora a escrever um comentário...

Kuanto ao estar na idade média, nao sei....Axo k defendi sempre ideias pro-futuristas e construções, tal como TGV e etc..outros pensam no passado, pensando k comboios a carvao sao suficientes...Outros pensam k sabem tudo sobre o mundo, e eskecem-se k nunca sairam da sua aldeia e nao sabem mais, pk nao viram mais...

E eu nunca disse k era a favor do atake aos direitos humanos, nunca disse isso....so relembrei k tudo o k se diz nao é verdade....e atakes aos direitos humanos há tb nos USA...nao kerendo dizer k apoio o regime na china....

Beijinhos

PS: São apenas opiniões sobre um especifico tema, nao vamos criar uma tempestade num copo de água..

Beijinhos

O Shihan disse...

Calma Roberto! Não há necessidade de fazer uma tempestade num copo ou numa caneca de água, vai ter ao mesmo. Estava apenas a lançar mais achas para a fogueira de um debate que tem tanto de saudável como de unânime, apesar de o não parecer. Quanto ao tempo, sorte a minha de o ter em grande quantidade como tu dizes, pelo menos, dá-me a oportunidade de usufruir uma hora, ou séculos, o que é útil para quem ainda não tem a oportunidade de usufruir da pós-modernidade da alta velocidade e tem de se contentar com o carvão. Mas que importa isso, quando independentemente da velocidade acabamos por chegar os dois ao mesmo destino?

:=

Roberto disse...

Indeed