sexta-feira, fevereiro 11, 2005

Com árbitros destes não havia sumaríssimos que resistissem.


Melgaço foi o local do que deveria ter sido um jogo-treino, que de amigável não teve nada, muito pelo contrário. Inserido no programa de estágio que o FC Moscovo está a realizar no Minho, o Moreirense aproveitou a presença da equipa russa no nosso país para ensaiar a estratégia a utilizar frente ao Gil Vicente. Sem ser muito bem jogado, o encontro foi competitivo, "rasgadinho", e os poucos espectadores que estiveram no Complexo Desportivo de Melgaço cedo ficaram com a ideia de que a tarde não iria acabar bem, caso o árbitro não tivesse pulso firme para controlar os ânimos exaltados. Na realidade, para além de firme, o árbitro Manuel Alves fez questão de mostrar toda a força do seu pulso, bem como uma impressionante rapidez de movimentos, aplicando um autêntico gancho de direita ao russo Budunov, que prontamente reagiu com um pontapé de fazer inveja a Jean-Claude Van Damme e pô-lo a rever todo o seu método de treino.

Setenta minutos foi o tempo que durou o jogo, até que Manuel Alves decidiu fazer justiça pela própria mão, depois de ser cuspido na cara. Após mais uma picardia, desta feita entre Filipe Anunciação e Budunov, o árbitro mostrou o cartão vermelho ao russo, que de imediato lhe colocou a mão no pescoço, antes de lhe cuspir na cara. A reacção de Manuel Alves foi instintiva, tendo agredido o jogador com um soco e só a pronta intervenção dos atletas do Moreirense impediu o cerco russo ao árbitro, que logo a seguir deu o jogo por terminado, numa altura em que o FC Moscovo vencia por 1-0.



Isto é que é futebol espectáculo e não deu na TVI.

1 comentários:

skykodak disse...

É arbitros deste calibre k são necessários nos jogos do FC Porto...