sexta-feira, novembro 14, 2008


Dê-se tempo ao tempo.
Uma ínfima parte desta matéria
 rude, inerte, bruta, que aqui vêm, 
que há tão pouco não era mais 
que um punhado vago de energia,
formar-á, um dia, o ser Humano.

Milhões e milhões de anos necessários
Para produzir este novo estado.
Matéria com poder de escapar e alterar 
o desígnio natural das coisas,
ainda que a um limitado nível.
Matéria que pensa sobre si mesma.

Parece impossível. 
Mas aconteceu, ou não existimos?

1 comentários:

O Shihan disse...

Não passaremos nós de um mero acidente cósmico, feitos de poeira estelar? Ou seremos feitos à imagem e semelhança de um superior Deus?

Chegamos até aqui de um forma notável e notáveis nos tornámos, pelo menos aos nossos olhos notáveis. Mas que notáveis seremos nós, quando comparados com o que notavelmente desconhecemos?