quinta-feira, novembro 06, 2008

Dados interessantes vieram a público, sobre um tema que habitualmente gera discussão entre indivíduos que por aqui geralmente gravitam: quanto recebem os jogadores de futebol? Quem recebe mais? Chupistas... Foda*** - geralmente é assim que se costuma terminar a conversa.

Fonte Futebolfinance, Ronaldo é o que aufere mais, 7.440.000 € ano, por Portugal, os portugueses João Moutinho e Bruno Alves, são os mais bem remunerados, ao contrário, do que é habitualmente proclamada que Nuno Gomes é dos mais bem pagos. No top ten, dos mais bem pagos na liga portuguesa, algumas surpresas, ou nem por isso: o Benfica coloca 5 jogadores, Suazo primeiro com 1.800.000 €, Reyes e Aimar com 1.320.000 €, Luisão 1.032.000 € e Katsouranis com uns miseráveis 912.000 €. O Porto coloca dois jogadores - e aqui está o gozo da notícia - Lucho e Cebola, cada um a ganhar 1.620.000 € ano - afinal o Cebola ate ganha mais que o Aimar e Reyes... malandro -, o resto é consultar o site acima citado.

Até parece anedota estes tipos ganharem esta enormidade de dinheiro, apenas mantendo o físico e dando uns pontapés na bola, enquanto há pessoas que trabalham mais de 8 horas por dia para ganharem um trigésimo dessas quantidades, com cargos e responsabilidades muito mais elevados e importantes para a sociedade, dando aquilo que outros não querem, não podem ou não sabem dar, sem nunca poderem aspirar a serem reconhecidos dessa forma, batalhando muitas vezes pela própria sobrevivência a pulso, nestes modelos de sociedade desiguais, desproporcionados e tremendamente injustos.

7 comentários:

Nimpo disse...

É um absurdo, mas é mesmo assim... O futebol de alto nível é um negócio altamente lucrativo e se parte do dinheiro não fosse para os jogadores, iria na quase totalidade para os presidentes, accionistas, sociedades que gerem os clubes, o que fosse. É bem ver que o maior clube de Portugal é o maior a pagar salários também : D

O Shihan disse...

Altamente lucrativo será? Ou teremos todos a viver acima das suas possibilidades? Maior clube, com teoricamente maiores receitas, mas seria interessante de saber o valor em salário do conjunto da equipa e não só de um ou outro jogador. Também não podemos esquecer a outra face da moeda, jogadores com salários que longe de serem milionários não são pagos.

Anónimo disse...

Para o que fazem é um luxo ganharem isso.

Skykodak disse...

So ganham o que ganham devido a todos nos....Nos e k somos os culpados...

A vida e assim mesmo, injusta, ha k tentar tirar o melhor partido dela...mas lembrem-se...Para nos estarmos relativamente bem, outros estarao mal...Nao ha volta a dar...sera sempre assim...Deixemo-nos de ser hipocritas em relacao a africa e afins...Eles estao mal, pois estao...mas mais vale eles k nos (alguem tem de estar mal)...

O mundo e injusto e n gosto disso...mas n ha nada a fazer...a n ser adaptarmo-nos a ele de forma a viver o melhor possivel...A isto chama-se seleccao natural...

Tenhu dito...

O Shihan disse...

Claro, para existirem ricos é necessário existirem pobres, no entanto, nos últimos tempos temos vindo a assistir a um aumento das desigualdades sociais, principalmente no nosso país, com o retorno da exploração de quem menos tem por aqueles por aqueles que ganham milhares às custa destes.

Numa recente entrevista do neto do Belmiro de Azevedo perguntaram-lhe se achava justo terem caixas de hipermercados a ganharem 400€ por mês. A resposta dele não podia ser mais conclusiva: Sim! Porque há pessoas que trabalham por esse ordenado.
Claro que há pessoas a trabalhar por esse ordenado, é uma questão de sobrevivência para muita gente, ou é esse ou não é nenhum.

Daí repugnar-me quando políticos, ideólogos e entidades patronais virem reclamar com o mais recente aumento do ordenado mínimo em 24€.

Eis algumas pérolas lamentáveis e irresponsáveis:

Empresários declaram guerra ao aumento do salário mínimo.

O primeiro-ministro acusa de mesquinhez” os críticos do aumento do salário mínimo.

A Associação Nacional das Pequenas e Médias Empresas ameaça instruir os seus associados a suspenderem as renovações de contratos a termo, caso o Governo de José Sócrates “insista” na actualização do salário mínimo.

"O presidente da Associação Nacional de PME considera que o aumento do salário mínimo terá como consequência directa a expansão do número de beneficiários do subsídio de desemprego. A jusante, vaticina Augusto Morais, obrigará o Governo a elaborar um orçamento rectificativo.

“A Associação Nacional de PME não se vai manifestar, mas vai determinar junto dos associados que não renovem os contratos, o que significa que o primeiro-ministro vai ter uma aumento do desemprego”, afirmou o responsável.

“O aumento do desemprego vai levar os trabalhadores a recorrerem ao fundo de desemprego, obrigando o Governo a fazer um orçamento rectificativo”, avisou.

É a mentalidade que temos, baseada numa ideia egoísta de não distribuição da riqueza, responsável pelo afundamento e degradação da economia e da sociedade. Se a classe média não tem dinheiro, não há consumo, não havendo consumo essas mesmas empresas facturam menos, facturando menos, os patrões ganham menos, os colaboradores tem ordenados mais baixos ou são despedidos, e continuaremos neste ciclo vicioso até decidirem nacionalizar as mentalidades.

Skykodak disse...

Pois essas declaracoes proferidas por algumas entidades, que deviam defender os direitos das pessoas acima de tudo ainda me chocam....

Pensar e uma coisa, agora vir publicamente dizer k o aumento do salario minimo e elevado...nunca pensei k tivessem tal coragem...

Mas nao ha nada k possas fazer em contrario amigo Shihan, e a lei do mais forte...eles sao mais fortes k nos...

E verdade k o povo unido jamais sera vencido, mas a maioria do povo e ignorante o sufeciente para nao se unir...O povo age singularmente, os ricos agem com uniao. Sendo assim nunca teremos forca para mudarmos as coisas...

E triste, mas e verdade...

Rock disse...

Quem critica a subida do salário mínimo devia era preocupar-se com os contratos que oferece aos seus trabalhadores...
Quantos empregados eles não têm a recibos verdes e há quanto tempo? Sem garantias de continuarem, sem direito a férias ou a qualquer "extra"?