segunda-feira, setembro 01, 2008

Dando resposta aos vossos inúmeros mails com opiniões, divagações e calúnias ocorreu entre as centenas de milhares uma ideia que logo se tornou luminosa ao nossos olhos. Sem mais delongas deixo os nossos agradecimentos à fã em questão e passo a expor o objectivo e conteúdo da nova rubrica que terá periodicidade mensal, salvo qualquer ocorrência de magnitude inimaginavelmente catastrófica.

Todos os meses será colocada uma pergunta feita por vocês (a qual devem endereçar para OsAmendoinsDoRiky@yahoo.com), pergunta essa que deve ser revestida da mais elevada pertinência, aceitando-se igualmente aquelas que possam ser adjectivadas de parvas, estúpidas e surreais.

As respostas serão dadas nos comentários por nós próprios e por todos aqueles que nos visitam. O que me leva a deixar o meu execro a todos aqueles que por aqui passam e não ousarem dizer o que pensam. A minha terrífica praga consiste no desejo que ouçam Os Delfins, D'Arrasar e Just Girls até ao final da vossa vida e início de eternidade. Nhã Nhã. Amén.

A pergunta deste mês de Setembro foi sugerida pela visionária desta rubrica e é a seguinte:

Bom dia/tarde/noite/madrugada, whatever…
Queria propor aos Amendoins, grupo de pessoas extremamente dotado de inteligência e sabedoria, uma questão que me tem assombrado desde os meus mais tenros dias.
Como boa amante da leitura (nem sempre dos grandes clássicos de Dostoyevsky, mas cada um lê o que lhe cai mais no interesse), sempre existiu um factor que me causou grande desagrado e dores no pescoço. Porque é que a lombada dos livros não têm todas uma orientação universal? Do género 1+1 ser 2, pelo mundo fora. Como odeio (e adoro ao mesmo tempo) passear-me por uma livraria de cabeça tombada ora para a esquerda, ora para a direita, na tentativa de perscrutar entre os títulos literários, algum em que me foque o interesse.
Tal problema mantém-se na questão dos dvds, não sendo tão problemática, por terem uma diferente estratégia de posicionamento à venda.

Digam de sua justiça, oh almas clarividentes e abonadas divinamente por S. Onte, padroeiro dos amendoins (quem sabe...)
Uma seguidora das vossas pegadas bloguistas e ansiosa por algum esclarecimento superior,

Sara

PS.: Obrigado por tudo meus Deuses da sabedoria e beleza masculina.


E também feminina...

11 comentários:

Shihan disse...

A minha opinião é que este facto não passa de mais uma prova da existência do lobby médico, neste particular dos ortopedistas que desta forma encontram mais uma maneira de provocar posturas incorrectas a todos nós e assim provocar o enrijecimento precoce dos nossos músculos do pescoço, garantindo assim a sua abastada subsistência.

Mariana disse...

Muito boa ideia de facto! Os amendoins vão andar ao rubro =p

Que etiqueta mais sugestiva, muito bem, vamos a isso! =)

*

Sara disse...

O PS não estava bem bem encaixado na mensagem original... :P

Em breve explanarei a minha opinião sobre o assunto.

Avé pela aceitação da sugerência =P

* Sara

António disse...

Do que se haviam de lembrar.. Lol

Nimpo disse...

Em relação à tua pergunta, caríssima e ilustríssima leitora Sara, elevo-a à mais pertinente das questões.. o teu lamento transparece uma grande e louvável riqueza interior, digna da mais formosa das senhoras. A meu ver, o estado das coisas pode dever-se a um desleixo pusilânime por parte das lojas, não sabendo já o que fazer a tanto lixo que para lá se encontra. Sim! Que fique claro. Aqui. Já! As livrarias transformaram-se em abomináveis aterros de rascunhos de toda a espécie... Cada vez mais escondidas e em menor quantidade estão as verdadeiras obras literárias, esmagadas, pulverizadas perante tal avalanche do vazio. Longe vão os tempos em que a qualidade era valorizada na loja comum, seja em que arte fosse. Hoje, o que importa é mostrar o que pensa o único neurónio deste ou daquele indivíduo que aparece na televisão, que assim ainda vê mais recheada a carteira, fazendo tanto para isso como o Bush pela paz mundial. É ou não absurdo? Mas somos mesmo assim, carneirinhos imbecis seguindo a manada. O "resto", esse, fica para monte, desorganizado, esquecido, misturado ao acaso em prateleiras conspícuas, originando o desagrado e maleitas físicas que te queixas. Não vejo o panorama melhorar, minha prezadíssima amiga. As rápidas melhoras e que nos apareçam mais questões pertinentes dessa tua mente inquisidora. Salut!

Anónimo disse...

Canalha

Nimpo disse...

Um grande bem haja para si, querido utilizador anónimo, e a sua repugnância em relação a tudo isto. Não poderia estar mais certo, não escondêssemos nós que tudo isto não é mais que a reles lama de um charco repugnante. No entanto, gostamos de nos imiscuir neste nosso aviltamento, como uma penitência kafkiana, e se for do seu desejo e agrado, será sempre bem vindo.

Sara disse...

lol. Gostei da parte dos carneirinhos imbecis. Excelente metáfora. =)

Permite-me só também dar a minha opinião. Dou relevo aos bons escritores e às boas obras, muitas vezes encontradas a saldos miseráveis e com um estado de conservação semelhante numa qualquer superfície comercial. Mas creio que, hoje em dia, a literatura está impreterivelmente agarrada ao consumismo e entretenimento rápido, de quem dispensa duas ou três páginas de leitura à cabeceira, meramente pelos efeitos soníferos, ou àqueles que pretendem distrair-se um pouco, enquanto se aliviam num qualquer wc dos seus excessos corporais, quais normais seres humanos.

Portanto, pouca gente busca num livro, uma obra. Algo que faça os seus ignóbeis "eurónios" reflectirem e ganharem um pouco mais de sabedoria.

Mas pronto. Também eu, infelizmente, vou seguindo a maré, talvez também na falta de um guia espiritual que me guie e de vontade de dar cabo do meu pescocinho e da coluna, tão necessários e já de si maltratados enquanto uma NTC. Sempre a tentar alcançar algo melhor. =)
Como os nossos atletas nos Jogos Olímpicos... =P

ncastro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Shihan disse...

Meus caros.

Apesar de concordar que cada vez há mais lixo pelas nossas livrarias, pacotes e pacotes de livros do Inspector não sei das quantas e histórias de menininhas do social temos que concordar que nem tudo nesta questão é necessariamente mau. Ok.. Tirando a parte irritante que é tentar encontrar os livros que queremos geralmente remetidos para fundos e cantos cavernosos, isto quando estes existem.

Ora vejamos então. Não estou a ver a Senhor Rosa e a D.Idália a ler os Possessos de Dostoiévki, Guerra e Paz de Tolstói ou Dom Quixote de La Mancha de Cervantes. É normal que escolham os chamados géneros mais light ou simplesmente o livro que aparece na tv da pseudo personalidade X. Este tipo de literatura é o único acessível a uma realidade que apesar de não ser a nossa é a grande realidade da maioria do país por muito que isso nos passe ao lado tão embrenhados que estamos na nossa minoritária condição.

E por fim pergunto-me será assim tão mau que esta gente tenha estes hábitos de leitura ao invés de estar a ver a TVI ou a preencher os seus tempos livres com uma qualquer outra actividade acéfala?

Leiam meus queridos. A Maria e o Record, o Código 387 e o Codex, o Eu Carolina e o Segredo. Leiam, leiam e joguem no Euromilhões.

Fui
(A última mensagem teve que ser eliminada porque não obedecia às regras mínimas da convivência em grupo que tanto prezamos aqui.)

D. Rosa disse...

Sim, meu querido. Na verdade até recomendo o último livro do ZéZé Camarinha. Muito lindo, sim senhor...